Bem Vindo. O Mundo é Seu.



Anatomia e Fisiologia Humana
Funções Vitais

- Nutrição e Digestão
- Respiração
- Excreção
- Circulação

1. Nutrição e Digestão

A nutrição é o meio pelo qual os sistemas vivos podem continuamente se reabastecer dos seus combustíveis (alimentos). Os alimentos proporcionam ao organismo a energia necessária para a execução de suas atividades.

Etapas da nutrição

Alimentação, digestão, desassimilação, dejeção ou defecação.
A alimentação se define como ato de receber no interior do organismo o alimento proveniente do meio externo.
A digestão é todo um processo físico (mecânico) e químico, destinados a fragmentar as partículas alimentares a fim de serem assimiladas e utilizadas pelas células.

Processos Físicos
Mastigação, deglutição e peristaltismo

Processos Químicos
Insalivação, quimificação e quilificação

O sistema digestivo humano tem como finalidade capturar, transportar e digerir os alimentos, para depois absorver os nutrientes necessários.

O sistema digestivo compreende duas partes:
Tubo digestivo ---> boca, faringe, esôfago, estômago e intestinos (delgado e grosso)
Glândulas Anexas ----> Glândulas salivares, fígado e pâncreas

O sistema digestório (digestivo)


Nota. 1.boca; 2. faringe; 3. esôfago; 4. estômago; 5. intestino delgado; 6. intestino grosso; 7. fígado; 8. pâncreas


Boca

É uma cavidade natural, forrada por uma mucosa. No interior da boca ocorre a mastigação e a insalivação, constituindo o bolo alimentar.

Faringe
É um canal músculo membranoso que se comunica por uma extremidade com a boca, através do istmo da garganta (orofaringe), e por outra, com o esôfago. A faringe, também se comunica com as fossas nasais, por meio de orifícios chamados coanas (nasofaringe).
A faringe é considerada um órgão duplo, pois dá passagem tanto para o sistema digestivo como para o respiratório.

Esôfago
É um conduto musculoso com aproximadamente 25 centímetros de comprimento, que une a faringe ao estômago. Este conduto, realiza contrações involuntárias que conduzem o alimento para o estômago. Essas contrações constituem o chamado peristaltismo.
A parte inferior do estômago se comunica ao estômago através da válvula cárdia.

Estômago
É uma dilatação do tubo digestivo, cuja finalidade é de armazenar alimentos e realizar a digestão.
O estômago está localizado no abdome, logo abaixo do músculo diafragma e encaixando-se a esquerda do fígado. Apresenta uma pequena curvatura superior (côncava) e uma grande curvatura inferior (convexa). O estômago vazio mede de 15 - 20 centímetros de comprimento por 12 - 15 centímetro de largura. Internamente, é revestido pela mucosa gástrica, que possui glândulas que produzem o suco gástrico.
O estômago se comunica inferiormente com o intestino delgado (duodeno), através de um músculo em forma de anel, denominado válvula piloro, que impede a passagem prematura do alimento para o intestino.
Como órgão de absorção, o estômago transfere para o sangue apenas uma quantidade de água, sais, açúcares álcool e algumas drogas.

Intestino delgado
É provavelmente o órgão mais importante da digestão. Nele se processa as principais atividades de absorção das substâncias ingeridas com os alimentos.
Anatomicamente, o intestino delgado é um tubo com aproximadamente 6,5 metros de comprimento e 3 - 5 centímetros de diâmetro, estando dividido em 2 partes: duodeno e jejuno - íleo.
O duodeno compreende a primeira porção do intestino delgado, com o tamanho aproximado de 12 centímetros de comprimento.

No duodeno desembocam dois canais:
- o do pâncreas, chamado de canal de Wirsung, que conduz o suco pancreático.
- O canal colédoco, que é uma união do canal hepático (fígado) com o cístico (vesícula biliar).

No jejuno - íleo ocorre a absorção do alimento através da mucosa entérica. Esta mucosa possui projeções digitiformes, chamadas vilosidades intestinais.
O intestino delgado se comunica através da válvula íleo-cecal com o intestino grosso.

Intestino grosso
É um tubo que mede aproximadamente 1,70 metro de comprimento e 7 centímetros de diâmetro, que começa na parte inferior direita do abdome. Este tubo está dividido em três partes: ceco, colo e reto.
O ceco compreende a primeira porção do intestino grosso, onde encontramos uma projeção com aproximadamente 5 centímetros de comprimento, o apêndice vermifirme.
O colo corresponde a parte maior do intestino grosso, onde ocorre a absorção de água e sais minerais que não foram absorvidos no intestino delgado.
O reto é um anel cilíndrico com cerca de 15 centímetros de comprimento, cuja abertura denomina-se ânus. Na parte terminal do reto (ânus) localiza-se um anel musculoso denominado esfíncter anal, cujo relaxamento voluntário elimina as fezes.


As Glândulas Anexa

Glândulas salivares

São três pares de glândulas localizadas na região da boca, que produzem a saliva, que é importante da digestão, alem de umedecer os alimentos, auxiliando a mastigação.

-parótidas, situadas ao lado dos ouvidos (produz 25% da saliva)
-sublinguais, situadas debaixo da língua (produz 5% da saliva)
-submaxilares, situadas abaixo da mandíbula (produz 70% da saliva)

Pâncreas
Tem o formato de uma espiga de milho, disposto horizontalmente por trás do estômago. Mede de 10 - 15 centímetros de comprimento e peso médio de 60 gramas, se estende do duodeno ao baço.
No pâncreas encontramos conjunto de células que constituem as Ilhotas de Langerhans. Essas células são chamadas de alfas (produzem o glucagon) e betas (produzem a insulina).
O glucagon promove no fígado a glicogenólise hepática, isto é, o desdobramento do glicogênio em glicose. É um hormônio hiperglicemiante.
A insulina estimula a queima de glicose, controlando sua taxa no sangue. É um hormônio hipoglicemiante.
O pâncreas produz ainda o suco pancreático, importante na digestão.

O pãncreas


Fígado
É a maior glândula do corpo humano, tendo no homem cerca de 1500 gramas, e está dividido em dois lobos: direito (maior) e esquerdo (menor).
É considerado como o órgão que mais funções realiza no organismo, como:
-produção da bile (líquido amargo que contém bilirrubina) -formação do glicogênio
-produção de células sangüíneas
-desintoxicante

Na parte inferior do fígado encontra-se a vesícula biliar, bolsa que serve para armazenar a bile.


A Fisiologia da Digestão

Os alimentos são substâncias que ingerimos periodicamente, necessários a nossa sobrevivência. Eles fornecem o material para o crescimento e a recuperação do organismo, bem como energia para a execução das várias funções biológicas. Para serem aproveitados, os alimentos necessitam de uma série de transformações, que denominamos digestão. Essas transformações são ocasionadas pela ação dos sucos digestivos e suas enzimas.

Na saliva é encontrado o tiocianato de potássio, que tem ação bactericida. O ácido clorídrico do suco gástrico abaixa o pH no estômago para 2,0, favorecendo a ação da pepsina.
O fígado produz um fermento chamado bile, que atua sobre o quimo, como uma espécie de detergente, emulsificando a gordura, transformando-a em finíssimas gotículas, facilitando a ação das lipáses. A bile não tem enzima e sim sais biliares (tauracolato e glicolato de sódio) e bilerrubina.


SALIVA + ALIMENTO = BOLO ALIMENTAR

BOLO ALIMENTAR + SUCO GÁSTRICO = QUIMO (quimificação)
QUIMO + SUCO PANCREÁTICO + SUCO ENTÉRICO + BILE = QUILO (quilificação)

O quilo é o produto final da digestão, contendo substâncias capazes de serem absorvidas pelo intestino delgado e passar à corrente sangüínea.

Monossacarídeos e aminoácidos são absorvidos pela parede intestinal e transportados pela corrente sangüínea aos tecidos. A gordura é absorvida pelas paredes do intestino, indo para os vasos linfáticos, encarregados de transportá-las à corrente sangüínea.


A química da digestão

Sucos digestivos Enzimas e outros produtos Alimentos que sofrem ação
Saliva Amilase salivar amido
Suco gástrico HCl. pepsina e renina proteínas
Suco pancreático Amilase, Tripsina e Lipase Amido, lipídios e dproteínas
Suco entérico Erepsina. lipase, maltase, sacarase e lactase amido, lipídio, proteína, maltose e sacarose
Bile Bilirrubina e sais biliares Lipídios

Produto Final da Digestão
Proteínas = (estômago e duodeno) aminoácidos
Lipídios = (duodeno)glicerol e ácido graxos
Carboidratos = (boca e duodeno) Glicose, frutose e galactose


2. Respiração

A respiração é um complexo processo bioquímico, pelo qual os seres vivos podem obter energia desdobrando substâncias orgânicas ao nível celular. Além do nível celular, a respiração ocorre ao nível de organismo.
A respiração ao nível celular, transcorre em parte no citoplasma celular (hialoplasma) e, em outra parte, no interior das mitocôndrias. Através das reações de oxidação do metabolismo celular, as moléculas de glicose e outros catabólitos são dissimilados e, com as quebras das ligações das suas cadeias de carbono, elas liberam considerável quantidade de energia, que é acumulada em moléculas de ATP (trifosfato de adenosina).
A obtenção de oxigênio pelo organismo a fim de atender às necessidades íntimas celulares já é o que chamamos de respiração a nível de organismo.

O Sistema Respiratório Humano

- As vias respiratórias ----> Fossas nasais, faringe, laringe, traquéia e brônquiosd
- Pulmôes ----> bronquíolos e alvéolos pulmonares

O sistema respiratório


Fossa nasais

São dois condutos localizados na parte média da face, acima da cavidade bucal, separados por um sépto cartilaginoso. As fossas nasais desembocam na faringe em uma região chamada nasofaringe.
Internamente, as fossas nasais são revestidas por duas mucosas: a mucosa pituitária respiratória (ricamente vascularizada) e a pituitária olfativa (rica em terminações nervosas), responsáveis pela percepção do olfato.

As fossas nasais desempenham as seguintes funções:
- filtração do ar
- umedecer o ar
- aquecer o ar
- identificar os odores

Faringe (estudada no sistema digestivo)

Laringe

É um conduto situado na parte mediana do pescoço, que se comunica na parte superior com a faringe através de um orifício chamado glote, orifício de passagem do ar durante a inspiração e a expiração, a qual se fecha durante a deglutição por meio de uma lâmina cartilaginosa chamada epiglote.
É na laringe que estão situadas as cordas vocais.

Traquéia

É um conduto musculoso com aproximadamente 12 centímetros de comprimento, reforçado com anéis cartilaginosos. Superiormente, se comunica com a laringe e inferiormente se bifurca, originando os brônquios.

Brônquios e bronquíolos

Os brônquios são dois tubos músculos cartilaginosos que penetram nos pulmões em uma região chamada hilo- pulmonar. O brônquio direito é mais curto e se divide em três ramos, que são os bronquíolos (lobar superior, lobar médio e lobar inferior); o brônquio esquerdo é mais longo e se divide em dois ramos, também originando os broquíolos (lobar superior e lobar inferior).
Os brônquiolos se dividem várias vezes constituído a árvore brônquica, terminando em microscópicas cavidades em forma de sacos, que são os alvéolos pulmonares.

Os alvéolos pulmonares realizam a hematose, ou seja, a troca gasosa entre os pulmões e os vasos sangüíneos. Cada pulmão tem em média 750 milhões de alvéolos pulmonares.

Os alvéolos pulmonares


Pulmões
São dois órgãos esponjosos, localizados na caixa torácica, acima do músculo diafragma. Cada pulmão mede aproximadamente 25 centímetros de comprimento (altura), com uma massa de 700 gramas.
O espaço entre os dois pulmões é chamado de mediastino, onde encontramos o coração, traquéia, esôfago e timo.
Externamente, os pulmões são revestidos por uma membrana serosa chamada de pleura.


A Fisiologia da Respiração

O processo respiratório pode ser dividido em quatro etapas:

a) Ventilação pulmonar

Consiste na entrada e saída do ar dos pulmões. Se realiza através de dois processos: a inspiração e a expiração.
A inspiração se faz por contrações dos músculos intercostais e diafragma, aumentando o volume da caixa torácica. A expiração se faz pelo relaxamento dos músculos respiratórios.

b) As trocas gasosas

O ar que entra nos pulmões apresenta alta concentração de oxigênio (21%) e baixa concentração de gás carbônico (0,03%). O ar que sais pela expiração apresenta menor concentração de oxigênio (14%) e alta de gás carbônico (5%).
A troca gasosa a nível dos alvéolos pulmonares ocorre por difusão, que se dá através de duas camadas celulares que separam os alvéolos do plasma, o epitélio pavimentoso dos alvéolos e o endotélio que envolve os capilares que envolve o próprio alvéolo.

c) O transporte de gases

Após a difusão, o oxigênio é transportado pelo sangue aos tecidos. Cerca de 97% desse oxigênio combina-se quimicamente com a hemoglobina (oxiemoglobina) e o 3% restante são dissolvidos no plasma.

Hb + 4O2 -----> Hb(O2)4

Quanto ao gás carbônico, ele é muito mais solúvel em água do que o oxigênio. Mesmo assim, o sangue não teria condições de eliminar grandes concentrações de gás carbônico, nos pulmões, transportando-o apenas sob a forma dissolvida no plasma.

O gás carbônico é transportado das seguintes maneiras:
- 64% sob a forma de íons HCO3 (bicarbonato) no plasma
- 27% combinado à hemoglobina
- 9% dissolvido no plasma


O transporte sob a forma de íons HCO-3

CO2 + H+O ----> H2CO3 ----> H+ e HCO-3(bicarbonato)

H+ + Hbo2 = HHbo2 ( em seguida libera o O2 para os tecidos, ficando livre e se associando ao bicarbonato, nos pulmões)

HCO-3 quando chegar aos pulmões se combina com o H+ originando o H2CO3

O gás carbônico liberado pelas células entra nos glóbulos vermelhos, onde pela ação da enzima anidrase, reage com a água formando o ácido carbônico.
O ácido carbônico, dissocia-se em íons hidrogênio e íons bicarbonato, que são liberados no sangue. O hidrogênio é captado pela oxiemoglobina e libera oxigênio para os tecidos. Quando o sangue chega aos pulmões possui a hemoglobina reduzida e bicarbonato.
Nos alvéolos o hidrog6enio da hemoglobina reduzida é deslocado pelo oxigênio. Este hidrogênio reage com o bicarbonato, formando o gás carbônico e a água.

d)Regulação do ritmo respiratório

Nas artérias carótidas e na aorta há regiões com quimiorrecptadores sensíveis a variação química que ocorre no sangue. Se houver uma grande queda de tensão de oxigênio no sangue, esses receptadores mandam um impulso ao centro respiratório no bulbo. Através de nervos motores, são enviado




Página inicial
Volte ao menu