Bem Vindo. O Mundo é Seu.



O Sistema Glandular - Nossos Hormônios
O Sistema Glandular

Este sistema é constituído por um conjunto de glândulas, que associado ao sistema nervoso regula as funções do organismo. Podemos dividi-lo em dois grupos: Sistema Exócrino e Sistema Endócrino.

O sistema exócrino É aquele que produz e lança seus produtos nas cavidades dos órgãos ocos ou na superfície da pele. Este sistema é constituído pelas glândulas exócrinas ou de secreção externas. Estas glândulas são dotadas de canais excretores.

Exemplos:
Glândulas sudoríparas , sebáceas, salivares, mamárias, Lacrimais, gástricas e entéricas.


O sistema endócrino

É constituído por tecidos glandulares capazes de elaborar substâncias químicas que são lançadas diretamente no sangue. Estas substâncias são os hormônios.
Os hormônios são mensageiros químicos que atuam em determinado tecido do corpo - tecido alvo. Cada hormônio atua em determinado tipo de célula, o que garante sua especificidade.
A produção dos hormônios é controlada por mecanismos de feedback negativo, também chamado de mecanismo de retroação negativa. Nesse caso, a substância produzida sob estímulo da glândula controla sua própria ação, evitando seu excesso.


As glândulas endócrinas ou de secreção interna


Hipófise ou Pituitária

É considerada a glândula mestra da vida, pois seus produtos controlam o funcionamento de praticamente todo o organismo. Encontra-se localizada na base do encéfalo e mede aproximadamente 1 cm de diâmetro, tendo a forma de um grão de bico. A hipófise encontra-se divida em três regiões: adeno-hipófise, neuro-hipófise e parte intermediária.

Adeno-hipófise

Esta região é controlada por uma parte do cérebro chamada hipotálamo, de onde recebe substâncias químicas: os hormônios de liberação e os hormônios de inibição.

Os hormônios produzidos pela adeno-hipófise são chamados de hormônios trófocos, que controlam outras glândulas.

Os principais hormônios são:
a) STH (somatotrophic hormone = hormônio somatotrófoco ou somatotrofina)
Age sobre o crescimento dos animais. Sua deficiência leva ao nanismo. O excesso na fase de crescimento causa o gigantismo. Se ocorrer na adolescência, surge a acromeglalia (crescimento exagerado do queixo, mãos, pés e orelhas.)

b) TSH (thyreoid stimulant hormone = tireotrófico ou tireotrofina)
Estimula a tireóide na produção dos hormônios T3 e T4

c) ACTH (adrenocorticotrophic hormone =adrenocorticotrófico)
Estimula a produção de hormônio corticóidees pelas supra-renais.

d) GH (gonadotrophic hormone = gonadotrófico = gonadotrofina)
Age sobre as gônadas de ambos os sexos. São dois os hormônios gonadotróficos : FSH (hormônio folículo estimulante) e o LH (hormônio luteinizante).

O FSH estimula a maturação dos folículo de Graaf, na mulher. No homem estimula a produção dos espermatozóides. O LH, na mulher, induz a ovulação e age na formação do corpo lúteo. No homem, estimula as células intersticiais de Leydig. Na produção de hormônio masculino.

e) Prolactina ou Lactogênico ou LTH (luteotrophic hormone)
Estimula a produção de leite nas glândulas mamarias.


Neuro-Hipófise

Esta região não é produtora. Sua função é armazenar os hormônios que vêm do hipotálamo e depois distribui-los. Estes hormônios são:
a) ADH (antidiuréretico hormone ou vasopressina)
Estimula a absorção de água pelos túbulos renais, diminuindo o volume de urina. A falta desse hormônio pode causar a diabetes insípido, exigindo a ingestão de muita água.

b) Occitocina
Provoca contrações fortes da musculatura lisa do útero na ocasião do parto, bem como atuando na liberação do leite materno.


Tireóide ou tiróide

É uma glândula como o formato de um H, como o peso médio de 25 gramas situada na traquéia, na parte anterior do pescoço. Produz os hormônios T3 (triiodotironina) e T4 (tetraiodotironina). Estes hormônios estimulam as atividades metabólicas dos carboidratos, lipídios e proteínas, atuando no crescimento e desenvolvimento do organismo.

Um outro hormônio da tireóide é a tireocalcitonona ou calcitonina que regula o metabolismo do cálcio. Estes hormônios são chamados de tiroxinas.
Para um perfeito funcionamento da tireóide, é indispensável a presença de iodo. A falta desse hormônio pode causar o bócio endêmico.
A insuficiência na produção de hormônio pela tireóide pode causar o hipotireoidismo ou o hipertireoidismo.


Paratireóides

São 4 pequenas glândulas situadas na porção posterior da tireóide, um par de cada lado. Fabrica o paratormônio ou paratirina, que atua na absorção de cálcio pelo organismo e incentiva a reabsorção de cálcio pelos túbulos renais.


Supra-renais ou ad-renais

São duas glândulas localizadas sobre os rins, apresentando duas regiões distintas:
- Córtex ad-renal (externa)
- Medular ad-renal (interna)

A região cortical (córtex) produz hormônios sob o estímulo do ACTH, liberado pela adeno hipófise.
Todos os hormônios desta região têm a mesma natureza química - estereóides, recebendo a denominação geral de corticosteróides. Estão distribuídos em três grupos:

a)Hormônio cortisol (glicocortocóide)
- estimula a produção de glicose a partir de proteínas e gorduras e diminui o consumo de glicose.

b) Hormônio aldosterona (mineralocorticóide)
- promove a reabsorção de sódio, cloro e água nos túbulos renais e promove a passagem do potássio para o filtrado.
c) Hormônios corticossexuais
- compreendem os andrógenos (masculinos) e pequenas quantidades de progesterona e estrógeno (femininos)

A região medular produz a adrenalina ou epinefrina, considerado o hormônio das emoções que lançada no sangue provoca:
- Vasoconstricção periférica (palidez)
- Aumenta o ritmo respiratório (taquipnéia).
- Aumenta a atividade mental
- Glicogenólise no fígado (aumento na taxa de glicose no sangue)
- Elevação da pressão arterial
- Dilatação da pupila (midríase).
- Aumento no batimento cardíaco ( taquicardia)

Obs. A adrenalina tem ação rápida e passageira, pois em torno de três minutos se torna inativa por enzimas produzidas no fígado. A noradrenalina, como muitos afirmam, não é produzida pelas supra-renais e, sim nos nervos do sistema nervoso simpático, sendo muito mais potente do que a adrenalina, atuando como mediador químico nas sinapses.


Pâncreas uma glândula mista

Situada abaixo e atrás do estômago realiza secreção externa e interna.
Sua secreção externa é o suco pancreático, que participa do mecanismo digestivo.
A secreção interna é realizada por um grupo de células que recebem a denominação de ilhotas de Langerhans. Nessas ilhotas existem dois grupos de células, as alfas (produzem o glucagon) e a betas (produzem a insulina).

O glucagon juntamente com a adrenalina e os glicorticóides têm papel glicemiante (aumento da taxa de glicose)
Já a insulina tem papel anti-glicemiante, pois lançado no sangue promove alterações nas membranas plasmáticas das células, facilitando a entrada de glicose para consumo imediato.


Epífise ou pineal

Situada entre os dois hemisférios cerebrais, num ponto posterior à localização da hipófise, tem sua verdadeira função ainda discutida. Acredita-se Ter influência no desenvolvimento físico, psíquico e sexual do indivíduo. Admite-se que ela atua na produção de um hormônio chamado melatonina, que estimula a liberação dos hormônios gonadotróficos hipofisários, tendo importante papel na maturação sexual e de regulação dos ciclos menstruais.
Alguns pesquisadores admitem, que a pineal seja somente um vestígio de algum órgão sensorial já não mais atuante, que regrediu durante milhões de anos.


Os mecanismos de feedback ou retroação

Este mecanismo corresponde a um autocontrole do organismo, explicando como um órgão passa a funcionar dm determinado momento, sob certa circustância, e pára de funcionar (evitando o excesso de trabalho) em outro momento, numa nova circustância diferente da inicial.
Um feedback pode ser positivo ou negativo.
O feedback positivo é qundo um órgão X estimula um órgão Y, e este, através de produtos da sua atividade, retroestimula o órgão X, intensificando sua ação. naturalmente, um mecanismo destes, isoladamente, levaria à exastão ou esgotamento energético do sistema. Por isso o feedback positivo está sempre acoplado a fedback negativo.
No feedback negativo, o órgão X estimula o órgão Y, cuja função inibe ou paralisa a atividade do órgão X. Em outras palavras, o estímulo bloqueia o seu próprio "estimulante".

As prostaglandinas

Estão entre os hormônios mais recentemente descobertos ma fisiologia humana. Recebe este nome por terem sido dectados primeiramente em grande quantidade na composição do sêmem humano e de outros animais.
É atribuida a próstata a função secretora desses hormônios. Hoje, sabemos que existem numerosas prostaglandinas diferentes. As que são encontradas no sêmem ou esperma são muito mais produzidas pelas vesículas seminais do que pela próstata (onde a produção é mínima). Experiências têm demostrado que a maioria das prostaglandinas atua como estimulantes das contrações em fibras musculares lisas. Elas provocam contrações do útero e estão provavelmente relacionadas com a atividade sexual da mulher, bem como certas etapas do ciclo menstrual.
Outras prostaglandinas agem como dilatadores de vasos sanguíneos numa aparente contradição com as que determinam a contração do músculo do uterino.

Texto de José Luiz Soares - Biologia no Terceiro Milênio - Vol. 2 - Editora Scipione.


Página inicial
Volte ao Menu